NOVAS FRANQUIAS DO GRUPO ORNATUS


O crescente movimento das mulheres no mercado de trabalho e maior número de pessoas vivendo sozinhas são fatores que contribuem para o aumento das franquias de alimentação. Marcas novas sempre chegam ao mercado e redes antigas acrescentam pratos assinados por chefs de cozinha renomados.

Em agosto, o Grupo Ornatus - responsável pela gestão das franquias Morana, Jin Jin Wok e Balonè -, lançará uma nova marca no setor de alimentação, de culinária japonesa. O restaurante, chamado Little Tokyo, quer mirar o público das classes A e B, nas áreas gourmet dos shoppings, fora da praça de alimentação. O cardápio do Little Tokyo será assinado pelo chef de cozinha Adriano Kanashiro, expoente da comida japonesa inventiva, que comanda seu restaurante japonês Momotaro, na Vila Nova Conceição, em São Paulo.

"O diferencial do Little Tokyo em relação aos outros restaurantes de comida japonesa está na decoração e no cardápio", afirma o sócio diretor do Grupo Ornatus, Jae Ho Lee. Por enquanto, há um contrato assinado para um restaurante no Park Shopping São Caetano. Outras unidades estão em negociação. O investimento médio, sem considerar o ponto comercial, é de R$ 1,2 milhão. A estimativa para o retorno do capital investido fica entre 24 e 30 meses.

Também em agosto, o Grupo Ornatus iniciará uma nova rede food service. A franqueadora trará ao Brasil a rede portuguesa Companhia das Sandes, com mais de 60 unidades na Europa. No Brasil, a rede receberá o nome de My Sandwich. A lanchonete será especializada em sanduíches e sucos naturais, sopas e wraps. "O diferencial é o cardápio amplo em uma única unidade, permitindo explorar todos os horários de refeições", explica o sócio diretor.

Outra inovação do My Sandwich será um equipamento importado da Alemanha que tosta o pão por fora e apenas esquenta o recheio, deixando-o levemente derretido. "Há várias tecnologias novas na rede Companhia das Sandes na Europa. Aos poucos, vamos agregando os equipamentos à rede brasileira. No momento, há um contrato fechado para uma unidade no Shopping Pátio Paulista.

Sem considerar o ponto comercial, o investimento necessário para a franquia é de R$ 350 mil, com retorno previsto para 24 meses.

"Hoje, menos de 30% da população faz refeição fora do lar. Nos próximos anos, vamos chegar ao patamar entre 50% e 60%" - percentual já verificado nos Estados Unidos", afirma o coordenador do grupo setorial das redes de food service da Associação Brasileira de Franchising (ABF), João Baptista da Silva Junior, diretor de franquias da rede Rei do Mate.

As franquias do setor de alimentos, tradicionalmente, sempre tiveram os números em ascensão no Brasil. Em 2005, havia 182 redes (marcas). Cinco anos depois, em 2010, o número aumentou para 427 marcas e continua em plena expansão.

No segundo semestre de 2011, Daniele Marmulsztejn, iniciou o modelo de expansão de uma kebaberia fast casual, batizada de Laffa Kebab Store. Atualmente, são três unidades no Rio de Janeiro. Outra unidade está em fase de negociação com um empresário para ser aberta no Recife.

A proposta da marca é atender todos os públicos com o pão folha, chamado Laffa, em hebraico, feito na hora. O cliente tem à sua disposição 14 opções de kebabs. "Aos poucos, serão acrescentados ingredientes novos, como linguiça de cordeiroe babaganuche."

FONTE: O Valor e Site da Empresa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRANQUIAS BRASILEIRAS INTERNACIONALIZADAS

FATOR EMOÇÃO NO FRANCHISING (E-FACTOR) E SELEÇÃO DE FRANQUEADOS

PORTUGAL - DESTINO DE FRANQUIAS BRASILEIRAS