FRANCHISING: EMPRESAS PRECISAM ESTRUTURAR MELHOR SEUS NEGÓCIOS, DIZ PESQUISA


SÃO PAULO – As franquias  nacionais precisam melhorar a estrutura de seus negócios. Ao menos é isto o que acredita a Vecchi Ancona Consulting. De acordo com a pesquisa “Modelo de Gestão das Franqueadoras”, divulgada na sexta-feira (23), das 85 empresas franqueadoras filiadas à ABF (Associação Brasileira de Franchising), cerca de 35,7% deram nota sete à profiss
ionalização da própria rede – a escala variava de um a dez.
No segundo lugar do ranking, com 23,2% das menções, se destacaram as empresas que avaliaram a profissionalização de seu negócio com a nota oito. A nota cinco foi dada por 19,6% das entrevistadas – o equivalente a 16 organizações.
Expansão em focoAinda segundo a pesquisa, 80,4% acreditam que contar com um bom franqueado e um ponto de qualidade sejam fatores essenciais para assegurar a ampliação das redes.
Contudo, na opinião da Vecchi, para que isso ocorra de maneira satisfatória, algumas adequações se fazem necessárias, especialmente no que diz respeito à visão de negócios mantida pelas empresas. “É o momento de repensar o modelo de expansão”, informa a empresa em seu estudo.
Isto porque, diferentemente do que possa imaginar a maioria dos entrevistados (51,8%), o auxílio de profissionais internos e assessorias terceirizadas especializadas não é a melhor opção. “Os terceiros têm interesse apenas na expansão da marca e provocam um crescimento de má qualidade, o que faz com que o franqueador pague a conta mais adiante”, defende a consultoria.
Alternativas que dão certoEntre as alternativas eleitas pelos entrevistados para expandir a rede de forma satisfatória, estão as ações institucionais, a divulgação em sites e as feiras de franchising, que compartilham 69,6% das opiniões.
Na sequência, destacam-se outros meios, como a captação de negócios para conversão (26,8%), os eventos de vendas (19,6%) e o uso de malas diretas (12,5%).
O uso da mídia, entretanto, ficou com último lugar da avaliação, sendo mencionado por apenas 7,1% das entrevistadas – o equivalente a seis empresas.
Lembrando que o sucesso de uma expansão também pode depender de outros fatores, como a capacitação das equipes ligadas à rede. Segundo a pesquisa, neste ponto, 44,6% afirmam estar mais propensas a investir em franqueados como possíveis multiplicadores, enquanto que 39,3% apostam nas franqueadoras, considerando-as como verdadeiras 'formadoras de redes'.
Novos rumosA pesquisa também aponta que a maioria dos franqueadores (69,6%) preferem manter o negócio e aperfeiçoá-lo, enquanto 21,4% deles avaliam a possibilidade de vender a franquia para outro investidor.
A compra de outras redes, no entanto, foi mencionada por apenas 8,9% dos entrevistados.
Fonte: InfoMoney

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRANQUIAS BRASILEIRAS INTERNACIONALIZADAS

A HISTÓRIA DO MC DONALD'S

Por que padronizar a rede?