BRASIL ULTRAPASSA EUA EM NÚMERO DE FRANQUEADORES



São paulo - Pela primeira vez o mercado de franquias brasileiro  ultrapassa o dos Estados Unidos e fica na 2ª posição no ranking da Rizzo Franchise, empresa de pesquisa e consultoria que lista as nações com os maiores números de franqueadores no mundo. No mesmo ranking, em primeiro lugar, vem a China. Com o avanço, o setor alcançou no ano passado um movimento de R$ 254,32 bilhões, e dispõe de 2.226 marcas e cria 469 empregos diretos por dia. "Nos EUA, o crescimento de empresários franqueadores praticamente estagnou nos últimos cinco anos, pressionados pela crise econômica", analisou um dos sócios da Rizzo Franchise, Marcus Rizzo. 


Segundo o especialista, os países emergentes, no decorrer da crise, tiveram maiores oportunidades de crescimento em franchising. Em relação ao tamanho das redes franqueadoras, o Brasil ocupa a 4ª posição no ranking. O primeiro lugar ainda é dos EUA; em segundo está o Japão e, em terceiro, a China.


Segundo o estudo, o Brasil registrou a existência de 2.226 empresas franqueadoras. Com isso, o País ultrapassa os Estados Unidos, e fica pouco atrás da China, que tem 2.600 empresas franqueadoras.

Atualmente no País, são inauguradas 1.017 franquias por mês, de acordo com apuração da Rizzo Franchise. Um dado curioso é que, por hora, cada brasileiro deixa no mínimo R$ 0,45 no caixa de uma loja do tipo.

Um exemplo de nova franquia no Brasil é a Mr. Cheney, rede especializada em cookies e iguarias norte-americanas, que passa a oferecer a marca para a abertura de unidades independentes, cominvestimento inicial de R$ 85 mil.



Quando o quesito é o tamanho das redes (total de número de unidades próprias e franqueadas das empresas franqueadoras), o Brasil ocupa a quarta posição no ranking. O primeiro lugar ainda pertence aos EUA; em segundo, está o Japão e, em terceiro, a China.
Impacto na economia
O setor de Franchising no Brasil já movimenta 7,5% do PIB (Produto Interno Bruto) do País. Atualmente, são inauguradas 1.017 franquias por mês - o que equivalente a 33 novas unidades por dia e 4 por hora. Por hora, cada brasileiro deixa no mínimo R$ 0,45 no caixa de uma franquia.
O setor gerou 171.281 novas vagas de emprego em 2010 por meio de 12.198 franquias abertas.
A média é de 469 novas vagas por dia. Também no ano passado, o mercado deu origem a 126 mil novas funções de trabalho (vendedor, gerente, atendente, etc), um crescimento de 10,4% em relação a 2009.
Dentro do setor de franquias, o segmento que mais gera empregos atualmente é o automotivo, que também apresenta o maior número de redes próprias, em comparação a outros setores.
O número de novas redes no País cresceu 15% na comparação com 2009, chegando a 284 novas marcas em 2010. Os quatro setores que mais se destacaram no último ano foram: alimentação (primeira posição), beleza e saúde, negócios e serviços e educação e treinamento.
2011
Para este ano, as estimativas da Rizzo Franchise são de continuidade no ritmo de crescimento. A perspectiva é que o setor fature R$ 269 bilhões, o que representa alta de 9,5% em relação a 2010 e o dobro da previsão de crescimento para o PIB brasileiro. A partir daí, a previsão é que, até o final do ano, existam 2.507 franqueadoras – um crescimento de 13% em relação ao ano passado.
Se a perspectiva se confirmar, o País terá média de 33 novas franquias inauguradas por dia em 2011, totalizando 12.200 negócios abertos. Da mesma forma, serão 400 novas vagas de empregos por dia, totalizando 144 mil novas vagas até o final deste ano. Até 31 de dezembro de 2011, o total das franquias do país empregará 1,8 milhão de profissionais.
Fonte: Infomoney e CDI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRANQUIAS BRASILEIRAS INTERNACIONALIZADAS

A HISTÓRIA DO MC DONALD'S

Por que padronizar a rede?