PORTUGAL - DESTINO DE FRANQUIAS BRASILEIRAS



O crescimento do franchising no Brasil impulsiona muitos franqueadores rumo a internacionalização das suas marcas. Já existem 68 redes brasileiras em 49 países de todos os continentes, totalizando mais de 700 unidades. E o principal destes destinos é Portugal, onde já se instalaram 29 marcas de franquias brasileiras.

Segundo o gerente de relacionamentos da ABF, Rogério Feijó, "o mercado português é uma excelente porta de entrada para a Europa, assim como adequado para as empresas brasileiras que estejam iniciando seu processo de internacionalização. Não é um mercado fácil, nem extenso, porém, fatores como idioma e similaridade cultural, por exemplo, podem  servir como base de apoio para uma expansão na Europa, Oriente Médio e norte da África, amparados pelos acordos bilaterais Brasil e Portugal, assim como o fato do país fazer parte da União Européia".

O diretor de expansão do Grupo Ornatus, Eduardo Morita, lembra que a decisão da Morana em fincar sua bandeira em Portugal ocorreu em 2006, quando a marca atingiu seu 4º ano de existência. "Na realidade, desde quando a Morana foi criada, imaginamos a marca atuando em mercados internacionais, ou seja, adotamos o modelo de trabalho de países da Ásia e EUA, onde o negócio tem este molde. Portugal foi o destino escolhido para iniciarmos este processo pela facilidade da língua. Estamos baseados no Porto, mas nosso próximo passo é Lisboa."

Com a Hope, o processo foi diferente: "Tínhamos interesse em levar a Hope para Europa, porém, antes disso, fomos procurados por investidores portugueses que já conheciam a grife e estavam interessados em levá-la para Portugal" - detalha Carlos Eduardo Padula, gerente comercial da Hope Lingerie. "Hoje, temos três lojas lá: Lisboa, Porto e Leria" - completa ele.

Apesar da facilidade da língua, implantar franquias brasileiras em solo português exige alguns cuidados. Um deles é conhecer bem o perfil do consumidor, para saber se o que está sendo oferecido é aquilo que desejam comprar.

"Encomendamos uma pesquisa sobre os hábitos de consumo do povo local para a oferta de produtos naturais e saudáveis e o resultado foi altamente favorável. Diante disso, não tivemos dúvidas em levar o Mundo Verde para Vila Nova de Gaia, região do Grande Porto. Nossa expectativa, para os próximos anos, é chegar à Lisboa. Poderia ter acontecido antes, não fosse a crise européia que tem apresentado impacto relevante em Portugal" - revelou Donato Ramos, diretor de marketing da Mundo Verde.

"O ideal mesmo é desenvolver uma pesquisa para a realização do focus group e depois partir para um levantamento  mais quantitativo. No caso da Morana, realizamos um trabalho mais empírico, ou seja, de tentativa e erro. Implantamos e testamos alguns modelos de trabalhos que nortearam os passos seguintes. Neste processo, adaptamos nosso mix de produtos criando, por exemplo, peças para o público masculino, o que não é feito aqui, para atender a demanda local. Outra aposta foi ampliar o leque de ofertas de produtos com maior apelo artesanal, pois o europeu dá muito valor a isso" - garante Morita.

Já a Hope decidiu ajustar justamente em seu diferencial, ou seja, oferecer uma lingerie com toda a "bossa" e sensualidade brasileira. "Nunca nos arrependemos disso, porém, passamos a ter que competir com os ´players´ locais, grandes marcas e redes que estão presentes de forma massiva em toda a Europa. Por isso, nossa estratégia em Portugal, diferente do Brasil, é atuar como marca de nicho" - pondera Padula.

Mas, nem tudo são flores. Dificuldades também existem e é importante dar atenção à elas:
 - O lusitano é bastante conservador na hora da compra;
 - Distância e sazonalidade climática
 - Mão-de-obra

Portugal hoje é o maior receptor de marcas brasileiras de franquias. O que justifica o interesse das empresas de participarem do Pavilhão Brasileiro na próxima ExpoFranchise 2011, promovido pela ABF e APEX-BRASIL, que acontecerá em Lisboa nos dias 13, 14 e 15 de maio próximo - Tomem nota!

MARCAS BRASILEIRAS EM PORTUGAL
Arezzo, Via Uno, Chilli Beans, Morana, Carmen Steffens, Pastelândia, Casa do Pão de Queijo, Showcolate, Fabrica Di Chocolate, Pelo Zero Depilação, Uniorto, Hoken, Mundo Verde, TOTVS, O Boticário, Bit Company, Microcamp, Sucesso em Vendas, IGUI Piscinas, ABC - American Brazilian Center, CCAA, Astral, Livraria Nobel, Darling, Hope, Lilica Ripilica, Colcci, Mormaii, Rosa Chá.

Fonte: Revista Franquias & Negócios fev/mar 2011

Abraços!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRANQUIAS BRASILEIRAS INTERNACIONALIZADAS

CACAU SHOW EXPLORA NOVO CANAL DE VAREJO: VENDING MACHINES

Por que padronizar a rede?