O USO DAS MÍDIAS SOCIAIS NO MERCADO DE TRABALHO.

 

 Uma pesquisa realizada, recentemente, pela Nielsen revelou que 86% dos brasileiros que usam internet navegam em blogs e redes sociais. Um bom exemplo é o crescimento do Twitter, que de 2008 pra cá aumentou 900%, alcançando mais de 55 milhões de usuários.

 

O fato é que ter um perfil no Twitter, Facebook ou LinkedIn deixou de ser coisa de adolescente e conquistou um novo público. Hoje, jornalistas, empresários, candidatos, empresas usam essas ferramentas como meio de ver e ser visto, é o famoso Networking.

 

O networking nada mais é do que conhecer pessoas com interesses em comum e estabelecer uma rede de relacionamento, onde é possível manter contato, por exemplo, com profissionais da mesma área que a sua e até mesmo com o RH de uma empresa em que você deseja trabalhar.

 

Sites e blogs como estes, permitem que o usuário divulgue seu portfólio, mostre seus trabalhos a uma rede infinita de pessoas, fale de seus talentos e conhecimentos e conheça pessoas com objetivos pares e principalmente pessoas que possam auxiliar em sua carreira.

 

Estatísticas recentes comprovam que, em média, 70% dos profissionais encontraram seu último emprego, trabalhando sua rede de contatos on line

 

O Headhunter e Executive Coach, Ricardo Porto afirma que hoje, com as mídias sociais, fazer networking tornou-se uma atividade incrivelmente veloz, com a possibilidade de atingir um número infinitamente maior de pessoas, e permitir que o candidato apresente seu currículo e habilidades profissionais às pessoas em geral e para possíveis recrutadores na área de Recursos Humanos

 

Porto destaca que é cada vez maior o uso das chamadas redes sociais pelas empresas, seja para conhecer o perfil dos candidatos em potencial, seja para divulgar as oportunidades em aberto, ampliando, assim, o universo de prospecção, antes limitado ao próprio site corporativo, ao "boca a boca" e às empresas de consultoria especializadas.

 

Ricardo Porto alerta também para o risco representado pelo uso inadequado das mídias sociais, "é absolutamente indispensável agir com ética, educação e bom senso, se fazendo lembrar, mas sem ser insistente e muito menos chato! Este pode ser o segredo de se dar bem nas mídias sociais e conseguir seu emprego." A exposição exagerada, seja por afirmações e opiniões polêmicas e pré-conceituosas ao invés de ajudar no networking, acaba "queimando" o profissional. Ricardo Porto sinaliza com algumas dicas, "evite participar de comunidades tais como: "Eu odeio meu chefe", "Eu odeio minha empresa", "Eu odeio acordar cedo", pois elas podem ter um efeito contrário ao que você espera. E muito menos, postar fotos e vídeos, com conotação sexual ou que denotem vulgaridade."

 

Helper na metodologia do Pathwork, Mediador de Conflitos, Executive Coach e Palestrante em temas ligados à espiritualidade e ética nos negócios.

Ricardo Porto Fundou em 1995 a Phoenix Search Brasil, empresa especializada em Recrutamento e Seleção de Executivos, que posteriormente deu origem á Phoenix  Consultoria. Anteriormente foi um dos sócios fundadores da CPM Informática S.A (1985) e Diretor Superintendente e Comercial do Grupo Saarbergwerk GmbH no Brasil (Ferramentas Belzer e Fette - 1971 a 1985).

É Conselheiro de Administração para Gestão de Pessoas certificado pelo IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa; Mediador de Conflitos e atua como Executive e Life Coach e como Facilitador de Grupos de Desenvolvimento com Executivos e Empresários.

Graduado em Ciências Econômicas pela USP (1970), especializou-se em Finanças pela Universidade da Califórnia – Berkeley(1979) e em Administração Geral pelo INSEAD - Fontainebleau (1990). É Facilitador de Grupos de Estudos (1999) e Helper (2005) autorizado pela Pathwork Foundation, USA; Terapeuta formado pela DEP – Dinâmica Energética do Psiquismo(2003). Tem formação em Coaching pelo Hudson Institute de Santa Bárbara e pelo New West Venture (2002), ambos nos USA e em Systemic Organizational Constellations aplicado a Systemic Coaching e Business Consulting pelo Hoffmann & Partners da Alemanha (2007). Concluiu a formação em Mediação de Conflitos pela PUC de São Paulo (2007) com a apresentação da monografia: Executive Coaching e Mediação de Conflitos - Instrumentos de Mudança nas Organizações.

É membro do Comitê de RH do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa e da WBA – World Business Academy.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRANQUIAS BRASILEIRAS INTERNACIONALIZADAS

PORTUGAL - DESTINO DE FRANQUIAS BRASILEIRAS

FATOR EMOÇÃO NO FRANCHISING (E-FACTOR) E SELEÇÃO DE FRANQUEADOS