KIDS POWER



PESQUISAS MOSTRAM QUE AS CRIANÇAS INFLUENCIAS OS PAIS NAS DESCISÕES DE COMPRAS



Há um ano atrás, desenvolvi um plano de negócios para um salão de cabelereiros infantil, a Glitz Mania, pela Francap. Nesta época, busquei pesquisas sobre o poder de influência que as crianças exercem sobre os pais. O mais interessante é que esta tendência só tende a aumentar. Estima-se que 50% das descições de compra dentro de um shopping center é influência dos filhos.

Por que isso? Acredito que é uma forma dos pais, se "redimirem" com seus filhos por ficarem tanto tempo no trabalho e longe de casa, até porque as mulheres estão conquistando cada vez mais espaço no mercado e a nossa vida doméstica diminuiu drasticamente.

Por outro lado, as crianças, desde muito pequenas, possuem acesso a diversas mídias: televisão e internet principalmente. Bom, temos o cenário perfeito para o consumismo infantil, batizado no exterior como "kids power".

Cerca de 2,5 milhões de crianças de dois a 11 anos navegaram na internet residencial brasileira em julho deste ano - o número equivale a 10,6% do total de pessoas que acessaram a rede e representa um aumento de 2h02 minutos na navegação dos pequenos, em relação ao mesmo período do ano passado. Os meninos são os que passam mais tempo no micro, enquanto as meninas consomem mais páginas.


O mercado infantil cresce em ritmo acelerado no Brasil: 14% ao ano - ou o dobro do verificado nos segmentos voltados para adultos. As crianças brasileiras movimentam cerca de R$ 50 bilhões por ano, representando 35% dos lançamentos. O tíquete médio das crianças, muitas vezes, supera o dos pais.


Veja alguns dados da pesquisa:

- Faixa etária que exerce maior poder de persuasão:
36% - 4 a 7 anos
28% - 7 a 11 anos
28% - 11 a 14 anos
8% - 0 a 4 anos

- Estratégia usada pela criança na persuasão:
65% - Argumento estruturado
35% - Insist6encia

- Motivos de ir ao shopping:

Compras - 40%
Entreternimento para família - 23%
Alimentação - 19%
Entretimento dos filhos - 18%

Para você que têm como público-alvo as crianças é importante conhecer alguns equívocos bastante comuns no marketing Infantil:

- Considerar a criança como um público homogêneo;

- Basear-se na própria infância buscando compreender a criança de hoje;

- Basear-se em alguém próximo, como um filho ou um sobrinho, para entender o seu público;

- Miniaturizar produtos de adolescentes ou de adultos para transformá-los em produtos infantis;

- Colocar cores femininas, como o cor de rosa e o lilás, em um produto de menino na esperança de transformá-lo em um produto de menina, e vice-versa;

- Considerar que o público da comunicação são apenas os pais, já que eles costumam ser os que possuem o dinheiro. Ou ignorar os pais no processo de comunicação, abordando apenas a criança. Os pais têm uma função importante no processo de compra.

Boa sorte!

Erica Andrade

Fontes: Folha de São Paulo, Livro “Marketing Infantil – como conquistar a criança como consumidora” Autor: Arnaldo Rab, FEA-USP, Revistas Shopping Centers.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRANQUIAS BRASILEIRAS INTERNACIONALIZADAS

PORTUGAL - DESTINO DE FRANQUIAS BRASILEIRAS

Por que padronizar a rede?